Projeto Harpia na Mata Atlântica

   Minimizar
Em 2007 iniciaram-se as parceiras com a ONG SOS Falconiformes, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA),  Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Associação Brasileira dos Falcoeiros e Preservação de Aves de Rapina (ABFPAR) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) para dar continuidade ao projeto Harpia na Mata Atlântica.
Esse projeto tem alguns objetivos:
- Estudar as harpias de vida livre que habitam os fragmentos florestais da RPPN Estação Veracel, Estação Pau-Brasil e do Parque Nacional do Pau-Brasil;
- Estimar a riqueza e abundância das espécies de falconiformes na RPPN Estação Veracel e PARNA do Pau Brasil;
- Sensibilizar as comunidades, principalmente do entorno da RPPN Estação Veracel e do Parque Nacional do Pau-Brasil sobre a importância ecológica dessa espécie e sua conservação;
- Reabilitar um gavião de forma que possa ser reintroduzido nas matas locais em condições de sobreviver naturalmente, caçando animais arborícolas, especialmente bichos-preguiças (Bradypuscholoepus);
- Monitoramento dos gaviões reabilitados após a soltura.
Em maio de 2008, umaharpia encontrada por fazendeiros da região e resgatada pelo IBAMA, foi solta no Parque Nacional do Pau-brasil, após passar pela avaliação dos pesquisadores do projeto. Ela tornou-se a primeira harpia adulta e o segundo animal no Brasil a ser monitorado via satélite.
Em agosto de 2009, a harpia que se encontrava em processo de reabilitação na Estação Veracel foi solta na Área de Alto Valor de Conservação Santa Maria, vizinha ao Parque Nacional do Pau-Brasil.

Harpia

   Minimizar

Harpia na Mata Atlântica

Edit AlbumFotos João Marcos Rosa

  • Harpia na Mata Atlântica
  • Harpia na Mata Atlântica
  • Harpia na Mata Atlântica
  • Harpia na Mata Atlântica