Caio Zanardo é destaque em matéria no Valor Econômico

Caio Zanardo é destaque em matéria no Valor Econômico

O presidente da Veracel, Caio Zanardo, conversou com a Valor Econômico sobre o desafio de assumir uma gestão extremamente eficiente e superá-la. Ele entende que há um caminho para evolução se a empresa for mais digital e inovadora. Segue um resumo desta conversa que poderá ser acessada na íntegra no site da Valor Econômico.

Na Veracel há pouco mais de um mês, Caio Zanardo pretende investir em inteligência artificial como um meio de alcançar um patamar superior em eficiência. É importante ressaltar o tamanho do desafio, estando em uma empresa com indicadores de desempenho acima da média:

  • praticamente 100% dos resíduos são reciclados;
  • taxa de excelência operacional de 92,2%;
  • menor nível de consumo de água da história: 22,2 metros cúbicos por tonelada produzida.

De acordo com a matéria, Caio indica que “a proposta é ampliar os ganhos na integração entre floresta e indústria, por meio da adoção de soluções de indústria 4.0 e de inovação florestal – área em que o executivo tem ampla bagagem -, conectando essas tecnologias aos processos atuais da empresa. Estamos ainda mais ávidos por excelência operacional”

Ainda segundo a Valor, a ideia é ampliar o olhar florestal sobre a operação. Com área total de 202,2 mil hectares, a unidade conta com 89,7 mil hectares de florestas cultivadas e 101,3 mil hectares de preservação. Há anos, a empresa tem um projeto de expansão que não chegou ao topo das prioridades das acionistas. Vinda Suzano, uma das sócias, a intenção é manter o olhar estratégico para esta questão, concorrendo como uma das alternativas de investimento futuro.

É possível encontrar oportunidades de melhorias em algumas etapas da produção e isso será feito, particularmente no cozimento da madeira e Mas há oportunidades de melhoria em algumas etapas do processo produtivo, entre as quais o cozimento de madeira, e na exportação de energia cogerada pela fábrica para o sistema nacional.

O presidente tem a seu favor, vontade e experiência: mais 16 anos de história na Suzano, Votoratim Celulose e Papel (VCP) e na Fibria. Torcemos, com a certeza de que as grandes ideias são amparadas por uma vontade coletiva de crescer, sempre com responsabilidade social e focando na valorização da vida.

Para conferir a matéria na íntegra, acesse o site da revista Valor Econômico.