Nosso compromisso com a proteção das florestas e recursos hídricos

Nosso compromisso com a proteção das florestas e recursos hídricos

Possuímos cerca de um hectare de área com vegetação nativa para cada hectare plantado com eucalipto e mantemos a RPPN Estação Veracel como exemplo de nossas ações para a conservação da biodiversidade da região.

Além de melhorias contínuas para reduzir consumo de água, realizamos acompanhamento da vazão e qualidade da microbacias como parte das nossas ações de proteção do recurso.

Ontem (21) e hoje, marcam duas datas importantes para o nosso calendário, o Dia Mundial das Florestas e o Dia Mundial da Água, comemorados neste domingo e segunda-feira, respectivamente.

As datas destacam dois dos recursos mais importantes para as nossas atividades, que reforçam o compromisso que temos com a proteção das florestas e recursos hídricos do Sul da Bahia.

 

Proteção das Florestas

Possuímos uma área total de 223.776 hectares, sendo 87.962 hectares de plantios comerciais de eucalipto, 101.347 hectares de área de preservação permanente e 21.901 hectares de plantio para o Programa Produtor Florestal (PPF) – uma parceria com proprietários rurais da região para plantio de eucalipto para suprimento de madeira da fábrica – perfazendo cerca de um hectare de área coberta com vegetação nativa para cada hectare plantado com eucalipto. Atuando em 11 municípios no sul da Bahia.

Para a proteção destas áreas, realizamos ações de monitoramento nas áreas florestais com equipes de vigilância e tecnologias avançadas, realizamos campanhas de conscientização e temos um canal exclusivo para alertas sobre possíveis focos de incêndio.

Além disso, somos responsáveis pela RPPN Estação Veracel reconhecida internacionalmente como Sítio do Patrimônio Mundial Natural (SPMN), concedido pela UNESCO.

A reserva fica nos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, no Sul da Bahia, e está entre as 20 áreas do mundo com maior número de espécies arbóreas. A Estação Veracel foi identificada como uma área-chave para a biodiversidade (Key Biodiversity Area – KBA), pelo seu importante papel na proteção de espécies de animais globalmente ameaçados de extinção.

É também considerada uma área importante para a conservação de aves (Important Bird Area – IBA), pois abriga populações significativas de espécies de aves globalmente ameaçadas, de acordo com a BirdLife International, organização ambiental com sede no Reino Unido.

“Quando falamos em conservação ambiental, sempre pensamos em uma floresta com toda sua biodiversidade. Impossível não lembrar da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel, com mais de 6 mil hectares , diz Virginia Camargos. “A floresta é uma verdadeira escola onde todos os dias aprendemos coisas novas. O contato com a natureza sensibiliza as pessoas para a conservação ambiental, e o diálogo é a ferramenta essencial para traçarmos um caminho correto, para a conservação da biodiversidade da região”, destaca a coordenadora.

 

Recursos hídricos

A RPPN Estação Veracel também tem papel estratégico na provisão de água no município de Porto Seguro. Dessa forma, a reserva pode ser considerada um importante fragmento prestador de serviços ambientais de regulação do fluxo e da qualidade de água.

Em complemento ao trabalho da Estação, a companhia realizou melhorias em seu processo de produção de celulose e reduziu em mais de 11% a necessidade de utilização do recurso em 4 anos, passando a usar 25 m³/toneladas de celulose para 22,2 m³/toneladas de celulose.

“A consciência ambiental com relação a otimização do uso de água permeia toda a empresa e seguimos avançando na área florestal com práticas também bastante inovadoras, como por exemplo a redução do uso de água para molhar as estradas com a utilização de um gel retentor de umidade para controle de poeira. Seguimos apoiando novas ideias e investindo em tecnologias para otimização do uso de água, sem prejudicar os equipamentos e a qualidade da celulose, e garantindo a sustentabilidade dos nossos processos”, explica Tarciso Matos, coordenador de Meio Ambiente e Licenciamento da Veracel.

Além da busca de melhorias para o uso da água, há 14 anos a Veracel realiza o monitoramento das microbacias localizadas em sua área e os resultados deste acompanhamento demonstram que as atividades da companhia não influem negativamente na quantidade e na qualidade dos recursos hídricos da região.

O trabalho com as microbacias consiste na seleção de pontos de monitoramento que permitem a comparação do comportamento hidrológico entre duas microbacias, sendo que, para esse efeito comparativo, são sempre selecionadas uma localizada na área de manejo florestal da empresa e outra localizada em área de mata nativa.

Dessa forma, é possível fazer uma comparação adequada da dinâmica da água e de qualquer impacto de vazão e qualidade.

“O monitoramento das microbacias na área da Veracel demonstra que as atividades da empresa não ocasionam qualquer impacto negativo para os recursos hídricos da região, uma vez que os dados coletados mostram uma similaridade entre as microbacias localizadas em área de floresta plantada e nas localizadas em áreas de mata nativa”, explica Helton Lourenço, coordenador de Manejo Florestal da Veracel.

O estudo mede de forma contínua os valores de precipitação pluviométrica, nível e a qualidade da água de superfície e também do lençol freático. Com sensores instalados em pontos de monitoramento estratégicos, os parâmetros de vazão da água são registrados a cada 15 minutos durante todo o dia e, quinzenalmente, a equipe de campo atua para a coleta de amostragem para avaliação da qualidade da água.

Com o monitoramento, conseguimos comprovar que seu manejo florestal empregado é ambientalmente adequado, inclusive sendo avaliado periodicamente para a renovação de certificações.

Além disso, também utilizamos essas informações para buscar sempre melhorias em nosso manejo florestal, levando em consideração a premissa fundamental de proteção do meio ambiente.

“Estamos passando por um período de flutuação climática bastante intenso, por isso, é sempre importante avaliarmos novas formas de atuação para estarmos preparados para essas mudanças e ajustarmos, conforme necessário, nosso manejo, de forma a mitigar quaisquer impactos nos recursos hídricos. Por isso, mais do que nunca, esse monitoramento é fundamental para o planejamento de longo prazo da empresa”, finaliza o especialista.

A iniciativa de realizar monitoramento de microbacias faz parte do Programa Cooperativo de Monitoramento de Bacias Hidrográficas (PROMAB), conduzido pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF), que realiza um trabalho de monitoramento permanente em 21 microbacias experimentais em todo o Brasil.

Temos o compromisso com as pessoas – colaboradores, parceiros e comunidades. Além disso, a preocupação com a conservação ambiental faz parte da nossa agenda de sustentabilidade.