Veracel Celulose

Transportadoras de madeira e celulose da Veracel têm novo sistema de monitoramento

Solução atua por meio de reconhecimento facial, captando comportamentos que podem colocar o condutor em um eventual risco de vida.

 

O transporte de cargas pesadas requer uma responsabilidade redobrada, tanto das prestadoras deste tipo de serviço quanto das empresas que o contratam. Para garantir que os motoristas estejam seguros ao dirigir e não corram riscos de acidentes, 100 carretas que transportam diariamente as toras de eucalipto e fardos de celulose da Veracel passam a trafegar pelas rodovias do Sul da Bahia com um novo sistema de monitoramento de frotas. A solução, implantada pelas transportadoras JSL e Expresso Nepomuceno, vai além de um GPS para rastrear a localização dos veículos em tempo real. “O novo sistema permitirá que as empresas transportadoras tenham melhor gestão técnica e comportamental de seus motoristas e possam tomar ações preventivas e corretivas de forma mais rápida. A segurança é um dos pilares de nossa cultura e é um valor de grande importância para todos nós”, declara Thiago Petine, coordenador de logística de madeira da Veracel.

 

De acordo com Petine, o antigo sistema de monitoramento dos veículos gerava dados com foco em velocidade, freadas bruscas e formação de comboio. A solução atual possui mais tecnologia e funcionalidades embarcadas e tem como foco o motorista e sua forma de condução, além das funções já disponíveis anteriormente.

O novo equipamento trabalha com o reconhecimento facial, faz registros de imagens e vídeos do motorista durante as viagens usando uma câmera especial que monitora seu comportamento em situações que podem provocar acidentes de trânsito. Movimentação de olhos, boca e mãos são microeventos que dão suporte para uma ação preventiva. Por exemplo, piscadas de olhos e bocejos repetitivos em um espaço muito curto de tempo são identificados pelo sistema, que emite um alerta para a central de monitoramento que funciona 24 horas em sete dias da semana. A central entra em contato imediato com o motorista para orientá-lo ou solicitar sua atenção. “A solução atua instantaneamente através de sinais sonoros de alerta no interior da cabine. Também oferece muitas possibilidade de tratar os dados e realizar diagnósticos da operação e equipe, mas não evita totalmente os acidentes. Ela precisa estar associada a ações de medicina do trabalho e assistência social, visando não somente a prevenção dos acidentes, mas a promoção da saúde e da qualidade de vida dos colaboradores”, complementa.

Para isso, os eventos ficam registrados em vídeos e fotos, que abastecem um banco de dados, e são usados para avaliação dos condutores contratados pelas transportadoras. Registros de distração e de sono servirão como sinalizadores para os gestores tomarem ações preventivas ou administrativas, quando necessário. Cada ocorrência gera uma não conformidade no sistema e que deve ser tratada pelo gestor da equipe. Comer, falar ao celular ou fumar ao volante são atitudes que não devem ser permitidas aos motoristas. Para tais necessidades, há orientações especificas de como realizar de forma segura e com o veículo parado. Se o caso for de sonolência ou fadiga ao volante, o motorista é direcionado para uma conversa para descobrir se ele teve um bom descanso na noite anterior, se está tendo algum desvio em sua jornada ou até mesmo um eventual problema de saúde. 

A frota das transportadoras que leva madeira e celulose da Veracel é composta por cerca de 400 motoristas, variam de distâncias de 5 a 500km entre as áreas florestais, fábrica e Terminal de Marítimo de Belmonte (TMB), por onde toda a produção é escoada.