Veracel Celulose

Veracel recebe reconhecimento inédito por conservação da biodiversidade em florestas plantadas

Empresa é a primeira do seu setor de florestas plantadas a ser reconhecida pelo FSC® e o Imaflora pela proteção de centenas de espécies animais e vegetais em suas áreas produtivas

A conservação de 25 espécies de mamíferos de médio e grande porte, 229 espécies de aves e 242 espécies de flora rendeu à Veracel, empresa produtora de celulose, um reconhecimento inédito no setor de florestas plantadas. A empresa acaba de receber o Procedimento de Serviços Ecossistêmicos, criado pelo FSC® (Forest Stewardship Council) e emitido no Brasil pelo Imaflora. O objetivo do procedimento é reconhecer e valorizar a atuação de empresas e organizações que usam os recursos naturais sem esgotá-los, seguindo assim um dos principais pilares do desenvolvimento sustentável. A única organização brasileira a receber o selo até hoje havia sido a Cooperativa dos Produtores Agroextrativistas do Bailique (AmazonBai), que produz açaí e foi reconhecida em fevereiro de 2019.

Foco da auditoria, a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel fica em uma área de Mata Atlântica, nos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia. Para obter a nova padronização, empreendimentos que já contam com a certificação florestal FSC® podem escolher entre categorias como conservação da biodiversidade, controle de emissão de carbono ou proteção de recursos hídricos, comprovando o impacto que o uso sustentável dos recursos naturais gera para a fauna e a flora.

Para a conquista da declaração pelo critério da conservação da biodiversidade, foram consideradas as 25 espécies de mamíferos de médio e grande porte, 229 espécies de aves e 242 espécies de flora (inclusive espécies da lista vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) existentes na área. “Nosso desafio era mostrar que nosso trabalho vai além do manejo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável”, afirma Virginia Londe de Camargos, coordenadora de Estratégia Ambiental e Gestão Integrada da Veracel.

O papel da flora na manutenção da biodiversidade da região também foi considerado. “São 6.069 hectares de Floresta Ombrófila de Terras Baixas, com importantes manchas de mussununga, uma vegetação de distribuição restrita, com espécies que só se encontram na Mata Atlântica”, destaca Alexandre Sakavicius Borges, engenheiro florestal responsável pela auditoria. “Ela está entre as dez áreas com maior diversidade de espécies arbóreas por hectare do Brasil.”

Serviços Ecossistêmicos

O procedimento de Serviços Ecossistêmicos faz parte de um novo protocolo do FSC® (Forest Stewardship Council), cuja adesão é voluntária. Mas, para recebê-lo, é preciso que a empresa tenha primeiro o certificado de manejo florestal, que garante que a floresta é manejada de forma responsável e de acordo com os princípios e critérios do FSC®.

“Muitas das organizações certificadas já produzem impacto positivo, mas antes era difícil mensurar”, diz Aline Tristão, diretora executiva do FSC® Brasil. Agora, além de produzir dados de impacto, é possível demonstrar compromissos de políticas corporativas e gerar mensagens socioambientais para os consumidores, entre outros benefícios. No exterior, já existem 28 declarações de Serviços Ecossistêmicos FSC® em oito países, abrangendo uma área de 1,6 milhão de hectares.

Leonardo Sobral, gerente de Certificação Florestal do Imaflora, acredita que a adoção, por parte da Veracel, estimulará outras empresas. Além do aspecto ambiental, o procedimento pode ser positivo também do ponto de vista econômico.

“A certificação pode atrair novos investidores, em um contexto de combate à crise do clima. Tendo uma declaração de que está contribuindo para diminuir as mudanças climáticas, a empresa demonstra um impacto positivo a mais”, explica o gerente. “Para quem tem capital aberto, é uma oportunidade de atrair a atenção de investidores que já consideram esse aspecto em suas aplicações”.